terça-feira, maio 20, 2008

Livro: O Caçador de Pipas

Muito foi falado sobre O Caçador de Pipas mas ele nunca havia despertado a minha curiosidade... Provalmente por eu não ser muito curiosa a respeito da cultura árabe... (Tb conhecido como "olha o pré-conceito!")

Esse livro acabou chegando às minhas mãos por alguém que eu gosto muito e com quem divido muitas opiniões e, como ela gostou e me trouxe, fiquei meio sem jeito de não ler... Ainda bem que ela é insistente... rs

Para entender realmente a história, precisamos estar cientes do fato que algumas sociedades orientais são divididas - em castas ou etnias, dependendo do lugar -, sendo que em ambos os casos há uma hierarquia a ser respeitada e que não deve ser quebrada. Ambas são divididas de acordo com vários critérios que podem ir de origem, raça e cultura a ocupação profissional.

Para quem vive em lugares em que as pessoas podem mudar de vida com trabalho (ou não) e não serem julgadas por sua origem, às vezes é complicado entender que em uma sociedade assim não há hipótese de melhora de vida, que alguns são serviçais e ponto, jamais poderão mudar isso.

***Aqui eu tenho que avisar que posso ter me empolgado ao contar a história e falado um pouco demais...***

O Caçador de Pipas conta a história de Amir, um afegão Pashtun rico e mimado que gosta de escrever e tem como melhor amigo Hassan, filho um ano mais novo de Ali, empregado Hazara do seu pai. A mãe de Amir morreu no parto e o garoto cresceu com um certo problema de relacionamento com o pai, a quem não conseguia satisfazer ou agradar quase nunca. Também tinha certo ciúme de Hassan, pela atenção que o seu pai dava ao garoto.

Os meninos tinham uma infância tranqüila, com muitos passeios e constantes provas de lealdade por parte de Hassan, como o dia em que ameaçou Assef, um garoto cruel de outra etnia para defender Amir.

Na Cabul dos anos 70 retrada no livro aconteciam competições de pipas no começo do inverno, nas quais o vencedor seria aquele que ficasse por último com sua pipa no céu. Aos 12 anos, Amir vence uma dessas competições e Hassan, leal como sempre vai atrás da última pipa a cair (um grande troféu para o já vencedor Amir). Ao encontrar a pipa, Hassan encontra tb Assef que havia jurado vingança... Amir testemunha a tal vingança, mas fica paralisado e prefere guardar segredo a contar o que viu e arcar com as conseqüências.

Entretanto, Amir não consegue conviver com a culpa pelo que aconteceu a Hassan e acaba acusando-o de roubo para que o garoto vá embora e ele não mais tenha que encarar sua covardia diariamente.

O tempo passa e as coisas mudam e, de menino rico e mimado, Amir passa a imigrante pobre nos Estados Unidos, fugitivo saudoso de um país que não existe mais devido a acontecimentos tumultuosos no Afeganistão dos anos 70, 80 e 90 (a queda da monarquia, a invasão soviética e a implantação do regime Taliban).

Os mais velhos, como o pai de Amir, não se adaptam bem à vida nos EUA. Com muito custo Amir termina a faculdade e se casa com Soraya tb uma imigrante afegã, acabando por se tornar um romancista de sucesso. Porém a culpa ainda o assombra levando-o de volta a um país que não existe mais para resgatar um certo garoto hazara e se redimir de seus pecados...

O livro é bom, tem momentos amenos e tensos, um personagem que precisou sofrer um pouco para amadurecer mas eu achei que termina meio que de repente...





Título Original: The Kite Runner
Autor: Khaled Hosseini
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 365
Ano: 2005

Um comentário:

Lulu on the Sky® disse...

Nao li ainda.
Big Beijos